Sobrenatural Para Sempre RPG

Venha se Aventura Nesse RPG-Fórum
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 The Dyas - A Lenda De Uma Bosta Chata

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Judeuzinho de Merda



Mensagens : 34
Data de inscrição : 18/07/2011

Ficha de caçador
Health Points (Vida):
1000/1000  (1000/1000)
Poderes :
Identidades:

MensagemAssunto: The Dyas - A Lenda De Uma Bosta Chata   Qui Set 05, 2013 10:13 am

16/12/1945 14:37

Temos em vista um tabuleiro de Xadrez por cima enquanto as peças brancas estão em maior numero com 7 e do outro lado as negras em 4. Do lado das brancas as seguintes peças, uma torre no H1 e outra no B5, um cavalo no D3 e outro no G5, um peão no F3, o rei no B2, a rainha no G2. E do lado das pretas um bispo no A7, um peão no D6, uma rainha no F6 e o rei na H7, enquanto uma mão move o cavalo branco para o F6 derrubando assim a rainha

- Ora, ora, ora. Não pensei que fosse facilitar tanto – Fala o homem com um tom de zombaria

- Calado! – Grita o outro homem irritado

O homem das peças negras pega seu Bispo em mãos e começa a gira-lo nas pontas do dedo e logo a joga como um peteleco direto na parede que os cercava e logo desce sua mão no tabuleiro o derrubando

- Chega dessa besteira Alden! Vamos logo aos negócios - Fala o homem irritado

- Certo Cournel, mas antes me deixe computar isso - Fala Alden que chega em um quadro e abaixo do seu nome escreve um ‘V’ enquanto no lado de Cournel tem apenas um 0

Alden joga o giz sobre o chão e senta de frente a Cournel novamente, com uma expressão alegre no rosto

- Acho que são cinco pontos meus, contra nada seu não é? - Fala Alden que acende um cigarro

- Arf... E o nosso tratado? Sabe que se não for oficializado não teremos piedade contra esse país e qualquer clã que seja composto dele não sabe? - Fala Cournel com uma expressão cínica no rosto

- O tratado que nós faz dar nossos recursos a vocês por nossa segurança... Não estou afim de assinar nada hoje - Fala Alden que traga o cigarro e assopra um pouco da fumaça no rosto de Cournel que se mantém neutro

- Então não liga para sua mulher e filho que vivem nesse país? Sabe que se não assinar iremos unir a melhor tropa para atacar cada canto deste país - Fala Cournel meio nervoso

- Olha... Meu avo descobriu esse país e o batizou de Palouzza e aos poucos novos povos vieram para cá e foram se estabilizando formando isso que vemos hoje, um país extenso e cheio de clãs, e meu avó nunca se rendeu a nada, mas meu pai foi tolo e entregou os recursos desse local de bom grado a seu pai, mas eu não irei cometer esse erro de me torna submisso a você, não irei ser um rato assustado eu vou... - Fala Alden que é interrompido

- Calado! Nunca ouvi tanta besteira! Seu pai não foi tolo ele foi experto por fazer esse trato, e agora você quer mesmo acabar com ele? - Fala Cournel totalmente exaltado e nervoso

- Sim - Fala Alden que apaga o cigarro na mesa enquanto olha seriamente para Cournel

- Então que seja, irei aumentar o tempo a 13 anos, e irei perguntar novamente, mas se a resposta for não, saiba que iremos atacar! - Fala Cournel que da um suspiro e sai porta a fora

- Saiba que a resposta ainda será não... - Sussurra para si mesmo e logo da um leve suspiro


-Day 01-


Um tipo de cidade derramada ao caos com tanques de guerra, aviões e mísseis indo em direção para construções do local, enquanto soldados armados invadem o local matando sem pensar todos que vem pela frente, mas um garoto de aparentemente 16 anos com cabelo liso, mas cacheado nas pontas da cor castanha, uma camiseta preta e um short jeans azulado que vai ate o joelho e com sandálias brancas e meio desgastadas, esta acima de um prédio azul de 12 metros o mesmo se depara com um míssel vindo direto para si, mas logo fecha os olhos e o brilho vermelho que o rondava some junto com ele

- Ahh! - Grita um garoto que parece ter saído de um tipo de transe suando e suspirando forte

- O que foi filho? Teve outro pesadelo? : Fala uma mulher de aparentemente 39 anos, magra, com cabelos roxos, olhos marrons, e um vestido cinza ate os joelhos e um avental branco que olha para seu filho que acaba de acorda

- Bem que eu queria que fosse... : Fala o garoto que coloca a mão sobre o rosto enquanto treme

- Han?... Bem, eu gostaria que fosse comprar um litro de leite no mercadinho, sua irmãzinha esta com fome, pode ir la e peça para o senhor Melc colocar na conta : Fala a mulher que pega um lenço e passa sobre a testa do garoto limpando seu suor

- Ta legal, ta legal... Bem eu já vou indo comprar o leite, mas tente arrumar mais dinheiro mãe, já estou ficando envergonhado de sempre pedir para colocar na conta : Fala o garoto que afasta a mão de sua mãe da sua testa e se levanta

- Você sabe que o emprego que tenho não me permite ter muito dinheiro para a gente, alem disso tenho que guardar o dinheiro extra para emergências... Bem, então vai la e me traga o leite bebê : Fala a mulher que muda de sua postura triste e da um sorriso para seu filho que a olhando entediado sai pela porta.

26/03/1971 09:00

Na rua temos um visual meio antigo com prédios altos, mas com partes soltas como tijolos, todas com uma pintura rústica, o chão sem asfaltou na pura terra, tirando as calçadas que ficam aos lados da rua, ao redor temos muitos carros antigos passando pela rua além de muitas pessoas pelas calçadas e perto dali duas crianças brincando de jogar a bola uma para a outra, o local ao que o garoto deveria ir esta ao fim da rua em uma casa grande de cor azul marinho feita totalmente de cimento e vigas, e logo acima um letreiro com o nome “Loja Avarion” e um velho varrendo a porta da mesma, logo o garoto vai descendo a rua para o local, mas logo um carro faz um cavalo de pau e freia bem ao lado do garoto e pela janela um garoto de aparentemente 17 anos com um chapéu caído a frente do rosto deixando apenas as pontas do cabelo liso e loiro do jovem, o mesmo veste uma camisa branca de manga longa, e uma jaqueta de mangas curtas da cor marrom que usa por cima, uma calça longa da cor marrom e sapatos da cor negra e polidos, logo ele olha para o garoto levantando um pouco seu chapéu e da uma risada de provocação.

- Ola caro senhor Uranami : Fala o garoto

- Eu já disse para me chamar de Sebastian, “caro senhor” Tobia : Fala Sebastian com um tom sarcástico

- É claro que sim, erro meu eu deveria o chamar então de maluco? Afinal quando é que vamos ser atacados mesmo? Você já teve outra visão? Hahahaha : Fala Tobias rindo de Sebastian que muda seu olhar de despreocupado para um olhar mais sério

- Veja bem... : Fala Sebastian que logo da uma pausa e acerta um soco contra a carroceria do carro que causa um pequeno buraco sem furar a carroceria

- Ei seu maldi... : Fala Tobia que logo é interrompido ao ver o olhar assustador do garoto que ate então estava zoando

- Se não tem nada melhor para falar, fique calado entendeu seu idiota? Apenas ande com essa merda que você chama de carro por ai e deixe os outros em paz : Fala Sebastian com um tom de voz frio

- Maldito! Você vai me pagar por isso! : Grita Tobias que rapidamente da ré e sai da rua em uma virada no quarteirão e logo o garoto volta a sua postura despreocupado e vai indo em direção ao mercadinho dando bom dia a todos que encontra no caminho

Logo o garoto se encontra na entrada da loja onde um homem de 52 anos, com cabelo grisalho faltando na parte de trás, uma camisa branca meio suja, e uma calça jeans da cor preta e usando um óculos de grau, o chama para entrar na lojinha pequena com varias prateleiras cheias de produtor como sandálias, salgados e doces

- Ola senhor Avarion, minha mãe pediu para ver se o senhor poderia colocar na conta 1 litro de leite, a gente esta sem dinheiro recentemente então não vai dar para pagar : Fala Sebastian

- Vocês vão acabar me falindo, mas eu simpatizo muito com sua mãe então pode levar, e manda um beijo para sua mãe

- É... Então esta certo [Nunca que vou fazer isso] – Fala Sebastian que pega uma garrafa de plástico com leite dentro da mesma e sai da lojinha

- [Esse cara continua tentando dar em cima da minha mãe depois que descobriu que ela era solteira, mas acho que isso não importa muito, eu só tenho que avisar minha mãe do que vai acontecer semana que vem para sairmos daqui e o resto que seja] : Pensa Sebastian olhando para cima enquanto as nuvens de chuva começam a se forma e ele acelera o passo ate sua casa.

- Voltei mãe, fala o garoto que ao abrir a porta da casa se depara com sua mãe caída sobre o chão com sua barriga aberta e sua irmã com a cabeça decepada sobre a mesa, olhando a cena o mesmo cai no chão e vomita um pouco, logo passa a manga na sobre a boca e olha para aquela cena totalmente triste, mas logo fecha o punho e mostra um expressão de fúria ao ver um homem mascarado saindo do banheiro com um rifle e antes que possa fazer qualquer coisa o homem atira no mesmo só que do nada tudo fica negro e ele abre os olhos que voltam a sua coloração normal enquanto sua mão esta sobre a maçaneta

- Outra droga de visão... Já estou cansado disso, e para piorar nem todas são reais e essa será que é? E se for... Quando vai acontecer... : Pensa Sebastian que começa a ralar seus dentes com muita raiva, mas logo fica sereno e abre a maçaneta e chegando é recebido por sua mão com sua Irmã no braço

- Finalmente, pensei que tinha tido algum problema : Fala a mulher que solta um suspiro de alivio

- A aqui o leite mãe, vou à casa do Mike ta? : Fala o garoto que coloca o leite sobre a mesa

- Obrigada, sim você pode ir, mas lembre de voltar antes do almoço : Fala a mulher

- Não sou mais um bebe, sei me cuidar : Fala Sebastian que sai pela porta

- Sim você sabe... : Fala a mulher que começa a preparar a mamadeira


Agora podemos ver um dirigível branco e bem grande seguido por mais de 15 dirigíveis do mesmo tamanho o mesmo tem uma bandeira vermelha com o símbolo de uma pena negra no meio e dentro do mesmo temos varias janelas ao qual só podem ser visto o céu e nuvens em passagem, alem disso dois bancos na frente do dirigível e sentado no da direita podemos ver Cournel agora mais velho com uma longa barba branca olhando para um grande mapa velho e meio rasgado e no mesmo dirigível vários homens vestidos com uniformes prateados com o símbolo da pena em vermelho em suas costas todos com chapeis da mesma cor só que com um símbolo dourado da mesma pena e um vestido com a mesma farda só que sem chapéu mostrando um cabelo longo e para cima da cor branca o mesmo chega ao lado de Cournel e se senta em uma outra cadeira ao lado a que o outro se sentava

- Senhor estamos chegando logo, acho que daqui a 1 semana estaremos em Albefica : Fala o homem com uma expressão feliz

- Então estamos chegando... Bem ali será o nosso primeiro ponto para dominar esse pais e ele se arrependera de não ter aceitado o trato : Fala Cournl que logo da um sorriso

Ao dar esse sorriso macabro todo o céu parece se torna vermelho como sangue enquanto as luas se encontram na cor cinza e corvos sobem em vôo

Agora voltamos a pequena vila de Albefica onde podemos ver Sebastian sentado no sofá junto a um garoto de 17 anos com cabelos laranja e liso sobre os olhos o mesmo também usa óculos sem alça, também vestindo uma camisa branca de mangas longas com detalhes dourados na ponta o mesmo também veste um short cor cinza e no momento não usa nenhum sapato, logo ele se levanta pega uma moeda em cima de sua mesinha

- E ai quer tentar a sorte? : Fala o garoto que olha determinado para Sebastian

- Bem, se estiver querendo perde : Fala Sebastian que se levanta e se dirige ao quintal que é protegido por uma sequinha tendo apenas uma barra de ferro no meio enferrujada e o garoto o segue logo os dois se posicionam de costas a barra de metal e dão 9 passos longos um de costas para o outro e logo se virão e se olham como inimigos em uma batalha de bang bang

- Você já sabe como funciona certo? Você escolhe o lado da moeda “punhal ou escudo” e começamos os lançamentos, quando ela cair sobre o chão o lado que tiver escolhido é o ganhador e assim quem o escolheu vencera e leva a moeda : Fala o garoto que continua a jogar a moeda para cima apenas com o seu dedo indicador e o polegar e quando a mesma sobe ele apara apenas com os dois dedos e a lança de novo

- Sim, eu escolho punhal : Fala Sebastian

- Então eu fico com o escudo : Fala o outro garoto que lança a moeda direto para cima de Sebastian que apenas a rebate de volta para o outro garoto que faz o mesmo e ficam nisso

- Vai pegar leve? Você sabe que se eu quiser derrubar a moeda no seu lançamento não será um problema né? : Fala Sebastian que continua a lança do mesmo modo

- É, mas ao mesmo tempo você sabe que se cair escudo eu ganho e sobre esses lançamentos monótonos, eu estava apenas esquentando : Fala o outro garoto que ao ter a moeda de volta seus olhos brilham e ele manda um lançamento mais forte em lateral par o lado direito

Sebastian corre rapidamente e a moeda esta prestes a cair, mas o mesmo rebate com força um pouco mais a acima do outro garoto, que salta e da um giro mortal e acerta a moeda de cabeça para baixo direto na barra de ferro que bate de lado e da um desvio que Sebastian não esperava, mas ele dar uma deslizada de peito pelo chão e com um pouco de dificuldade levanta rápido e rebate a moeda em direção ao outro que ainda estava se levantando do ultimo e corre mais para frente e logo que a moeda passa a parte da barra de ferro do seu adversário ele lança rapidamente ao chão do mesmo e a moeda começa a girar

- Então decidiu encerrar agora? Esperava mais, só que o que importa é o lado não estou certo? : Fala Sebastian que encosta perto da moeda que agora estava girando e parando

- E o lado vencedor é... : Fala o outro garoto e logo a moeda para

Sebastian olha em choque enquanto se abaixa e ver o lado que a moeda parou e no caso foi o lado do punhal, logo que o outro vê cai de joelhos e da um leve risada desapontada

- Para falar a verdade eu não pensei que ganharia essa : Fala Sebastian coçando o cabelo de leve

- Você só tem muita sorte só isso! Bem é melhor você ir já são 12:27 sua mãe deve estar preocupada : Fala o garoto que olha no relógio

- O que?! Que droga! Falo mano eu volto amanha! : Fala Sebastian que corre e salta a cerca dali deixando a moeda para trás : Fala Sebastian eufórico

- Ele esqueceu a moeda... Bem pelo menos não perderei essa : Fala o garoto que pega a moeda e entra em sua casa

Enquanto isso Sebastian corre loucamente para sua casa e chuva começa a cair

Agora podemos ver um tipo de base redonda azul marinho com metralhadoras nas pontas na mesma também tem uma bandeira branca com um punhal atravessando um escudo da cor roxa com algumas gotas vermelhas como sangue onde o punhal atravessa ao sul da cidade e la dentro temos uma sala pequena e cinza sem nada tirando um painel que permite ver a cidade e de frente ao mesmo podemos ver um homem de 23 anos moreno, com cabelo curto mas liso para frente tendo a cor branca, o mesmo usa um uniforme verde pântano com um símbolo no peito esquerdo da cor prata com o punhal atravessando o escudo, também usando uma calça longa de cor cinza e sapato preto, o mesmo também tinha na perna direita um tipo de bolsa marrom com uma faquinha, e nas costas uma corrente onde se encontra uma A-K 9, na cintura duas pistolas de 8M da cor prata, logo um jovem entra ofegante na sala e fala com o seu superior

- O que quer Leon? : Fala o homem

- Senhor Louis descobri por um freqüência do radio que o grupo Death Fly do pais da fronteira esta chegando a essa cidade, parece que querem torna esse local o primeiro ponto de ataque sobre esse pais, disseram que sua chegada será em 1 semana : Fala Leon ofegante

- Entendi... Pesso que reúna todos que puderem da força policial daqui e se puder peça reforço da cidade vizinha Xientz e assim teremos alguma chance, mas faça isso logo! E de preferência traga algumas daquelas cadetes de Xientz, elas usam belas saias... : Fala Louis

- Senhor? : Fala Leon olhando estranhamente para seu superior

- Er... Reúna o maior grupo que puder! : Fala Louis determinado

- Assim farei senhor! : Fala Leon que faz sua reverencia e sai sala a fora

- Um ataque em massa a cidade mais frágil... Seja quem for é esperto, mas ao mesmo tempo foram burros de atacarem a cidade onde eu sou a defesa : Fala Louis olhando para o céu pelo painel

Voltamos nosso foco a Sebastian que já estava em sua casa se secando com uma toalha que sua mãe lhe deu enquanto a mesma o olha com cara de reprovação

- O que? : Fala Sebastian assutado com a expressão de sua mãe

- Eu disse para você chegar mais cedo! E mesmo assim me desobedece e ainda se molha todo : Fala a mãe de Sebastian irritada

- Desculpe-me é que eu tive mais um daqueles jogos da moeda e perdi a noção do tempo : Fala Sebastian coçando a cabeça enquanto da um sorriso meio assustado

- SEM DESCULPAS! : Grita a mãe do garoto

- Lizzy! Não grite ou o Jorel vai acorda : Fala Sebastian apontando para o berço onde seu irmão repousa

- Arf... Você esta certo, mas não muda o fato de ser irresponsável! E quem te deu permissão de me chamar pelo meu nome? : Fala a mãe do garoto que da um cascudo na cabeça de seu filho

- Arg! Pelo menos eu trouxe uma coisa boa... : Fala Sebastian com uma expressão sacana no rosto que tira da calça um saquinho com varias moedas de prata

- Onde conseguiu isso? Não roubou do seu amigo né? : Fala Lizzy desconfiada

- Claro que não, eu ganhei de forma justa : Fala Sebastian com um sorriso falso

- Seu rosto não te deixa mentir, bem eu sou sair um pouco falar com a Joshelia, se quiser comer tem comida em cima do fogão, bem vou indo filho : Fala Lizzy que se retira do local

- Aposto que ela saiu apenas para que não tenha que cuidar do Junior quando ele acordar : Pensa Sebastian que vai ate o fogão e pega a tigela com sua comida sentando na mesa e pronto para comer

Agora temos em vista um escritório luxuoso com uma vista total de uma cidade grande cheia de luzes na sala vários homens vestidos de terno se sentam ao redor de uma mesa de vidro onde no centro se encontra um homem moreno de cabelo branco e arrepiado que logo fala

- O ataque esta muito próximo não temos muita proteção se Hourokaustor nos atacar o Maximo que poderemos fazer é lançar uma bomba contra ele não é? Hahahaha : Fala o homem rindo sarcasticamente

E logo todos ao seu redor dão uma risada macabra

Agora indo a fora do prédio temos uma placa com as horas que marcavam 13:50 ao dia 13/04/2040

Agora temos a visão de uma cidade maior que a onde Sebastian se encontra a mesma tem um quartel muito grande e nesse local se encontra um grupo de soldados e recrutas se preparando para marchar a cidade vizinha para dar reforço

- Hoje a gente se prepara para a batalha decisiva! Fala um soldado careca colocando seu boné

- Sim senhor! : Falam todos também colocando seus bonés

Logo 4 tanques partem do local e o resto dos soldados e recrutas partem em cavalos com o símbolo de uma cruz na cela vermelha dos cavalos assim como todos os soldados também tem um brasão branco com uma cruz vermelha e logo rumam ao norte dali

- Senhor, quanto tempo acha que demoramos para chegar la? : Fala um dos recrutas

- Eu acho que um dia e meio por ai, se não acontecer nenhum imprevisto : Fala um velho em resposta

- O prazo foi de uma semana, mas é bom que a gente evacue o local o mais rápido possível para que possamos atacar sem deixar os cidadãos em perigo : Fala Louis cavalgando em seu cavalo ao lado do velho e o recruta

- Senhor, onde estão aqueles outros 2 recrutas? : Pergunta o recruta que esta a cavalo

- Eles estão indo na maquina de proteção não seria bom deixa-los ir sem nenhum treino direto para o campo de batalha, além disso são como crianças não acha Grent : Fala Louis

- Claro... [apesar de concorda com isso, eu também só tenho 16...] : Fala Grent

2 Dias depois...

Podemos ver Sebastian voltando da casa de seu amigo as presas novamente, correndo igual louco ate que ouve uma explosão vindo de uma parte da cidade onde ele não tem visão

- O que foi essa explosão? : Pensa Sebastian que agora tem uma nova roupa, uma camiseta preta com os dizeres “Soul” em vermelho, a mesma tem mangas cortadas, uma calça jeans preta e sandálias brancas e bem desgastadas, alem disso usa um colar prata alem disso usa um boné branco com o brasão da cidade

Ele deixa para lá e sai correndo para sua casa, e quando chega a porta e a abre um flash de luz que invade seus olhos e quando finalmente recobra a visão se depara com sua mãe com uma faca no pescoço caída sobre o chão em um mar de sangue e seu irmão em lugar nenhum logo ele fica chocado com a cena

- Isso é uma visão não? Não é?! : Grita para si mesmo ate notar que não é uma visão e sim a realidade

Logo ele cai sobre seu joelho e começa a chorar ao lado do cadáver de sua mãe, para logo ser surpreendido por um barulho na direção do banheiro, ele logo fica alerta e sabendo que sua família tinha uma arma na mesa da cabeceira o mesmo pega e olha fixamente para a porta, logo ela se abre e um clarão como antes bate em seu olhos, mas dessa vez o mesmo se protege com o braço e logo avista um homem alto com uma faca em punho que vai para cima dele, o garoto ainda forçando a visão pega a arma e acerta 6 tiros por todo o corpo do homem, que ao ser acertado desaba sobre o chão enquanto uma poça de sangue se espalha

- E-eu matei alguém... Mas ele foi quem matou minha mãe... Ele mereceu! : Fala para si mesmo enquanto treme diante do que tinha feito, enquanto segura a arma forte nas mãos

A porta da frente começa a abrir e olhando ainda com a visão ofuscada o garoto aponta sua arma, quem será que esta do outro lado? O que vai acontecer com ele depois de tudo? Veja no próximo capitulo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
The Dyas - A Lenda De Uma Bosta Chata
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Podcast Revolution #022 - A lenda dos Defensores de Athena parte 2 Final
» Mustang GT-500 do filme "Eu sou a Lenda" com o Will Smith
» Décimo terceiro cavaleiro de ouro.
» Akai Ito - O fio vermelho do destino
» [Comentários] Toei Animation - Filme em CG Saint Seiya

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Sobrenatural Para Sempre RPG :: Inferno :: Jaula de lúcifer-
Ir para: